7 de junho de 2009

Há quem não queira mudar

(Foto: Ana Maria de Abreu - abril de 2009)
Há quem passa a vida na mesma casa
com os mesmos móveis e colchas de retalhos
até quando antigos e puídos

Há quem não saiba fazer amigos
teme sorrir para um desconhecido

Há quem não goste de variar o caminho de volta para casa
custe a acostumar-se com novos sapatos

Há quem não queira mudar
decide acordar e dormir os mesmos costumes
todos os dias, sem perder as manias

(ana maria de abreu siqueira)

6 comentários:

Raissa disse...

O recheio parece ser de sorvete, mas dependendo do sabor que você fizer o biscoito, pode ser de doce de leite, ou brigadeiro, ou de coco (deve ficar muito bom)!

Lidiane Vasconcelos disse...

Oi, Ana Maria!
Sempre há quem seja resitente ao novo, não é? Mas é que o novo é assustador num primeiro instante. Eu, apesar de reconhecer o quanto é assustador o que a gente não conhece, não sou paralisada por esse medo. Acho fundamental a gente resistir e não sucumbir ao comodismo das mesmices. :)

Ah! Fiquei feliz em receber sua primeira visita ao Bicha, pelo menos primeira visita com comentário foi, né? :D
Espero que volte sempre!
Sobre seus móveis estarem sendo projetados para o apartamento, acho que foi uma decisão acertada. Não será bem melhor se o espaço for aproveitado da melhor forma possível? Dei sorte de encontrar o meu rack que vai receber os puffs prontos, mas foi mesmo uma excelente aquisição. ;)

Eduardo Trindade disse...

Há quem pense e aja de todas as maneiras...
Eu particularmente confesso que tenho uma certa resistência a algumas mudanças. Mas não nego a importância de uma boa arejada de vez em quando!
Abraços!

Renata de Aragão Lopes disse...

Tantas pessoas agem assim.
Como conseguem?

Eu preciso mudar
- nem que sejam
os móveis de lugar.

Beijo.

Sueli disse...

Sim, há também quem faz o mesmo caminho todos os dias e procura chegar mais cedo para que ninguém estacione em seu lugar (de sempre). Não entendo a mania da rotina crônica, mas, como já disseram antes, cada louco com sua mania. Amei seu espaço! Vou voltar. Um abraço!

Sabrina Davanzo disse...

Ana, é preciso mudar sempre.. mas eu confesso: mudo, morrendo de medo!